Livre pensador

Pierre Logan

Enquanto eu crescia as pessoas me diziam para escolher
Entre a direita para conservar as tradições
Ou à esquerda para fazer revoluções
Eu pedi a Deus para me guiar
Pois eu não queria virar sempre à direita e andar, andar, andar e andar em círculos

Eu não queria virar sempre à esquerda e andar, andar, andar e andar em círculos
Eu desembarco pelo lado direito do trem
E desembarco pelo lado esquerdo também
Depende muito da hora, do momento que convém
Quero ter a chance de mudar. O que é que tem?
Dá um passinho com a perna direita meu bem
Para não parar dá um passinho com a esquerda também
Depende muito da hora, do momento que convém
Quero ter a chance de mudar o que é que tem?
Eu pego o carro e dou a seta para direita meu bem
Pego o carro e dou a seta para esquerda também
Depende muito da hora, do momento que convém
Quero ter a chance de mudar. O que é que tem?

Na história deste mundo construíram um muro para dividir
As desigualdades do comunismo oriental
Ou as desigualdades do capital ocidental
Eu pedi a Deus para derrubar
Aquele muro para eu não ter que virar sempre à direita e andar, andar, andar, andar e andar em círculos. Eu não queria virar sempre à esquerda e andar, andar, andar, andar, e andar em círculos

Eu desembarco pelo lado direito do trem
E desembarco pelo lado esquerdo também
Depende muito da hora, do momento que convém
Quero ter a chance de mudar. O que é que tem?
Dá um passinho com a perna direita meu bem
Para não parar dá um passinho com a esquerda também
Depende muito da hora, do momento que convém
Quero ter a chance de mudar o que é que tem?

De um lado um futuro impossível do outro lado um passado improvável
Aproveitem a vista, senhores! Hasta la vista, senhores

Mais-valia não ter comprado o livro o capital
Para não gastar meu capital
E não gerar mais capital
Para um burguês explorador
Também não quero conservar o mundo assim
Porque esse sonho tá ruim
Até pra quem já acordou

Tem dias que acordo esquerdista
Boto fogo, fecho pista, até pra alguém me escutar
Tem outros dias que acordo capitalista
E não vejo nada de mau
Ganho o dinheiro, boto olho na balança
Boto o lucro na poupança e acumulo capital
Só que hoje acordei bem coitadista
Dá até uma preguiça quando penso em levantar
E se vocês me chamarem de vagabundo
Eu processo todo mundo por me oprimir assim
Porque isto aqui é democracia
Mas eu sou da minoria: Ninguém tem pena de mim

Eu desembarco pelo lado direito do trem
E desembarco pelo lado esquerdo também
Depende muito da hora, do momento que convém
Quero ter a chance de mudar. O que é que tem?
Dá um passinho com a perna direita meu bem
Para não parar dá um passinho com a esquerda também
Depende muito da hora, do momento que convém. Quero ter a chance de mudar o que é que tem?

Atenção senhores governantes desta republica federativa que outrora tinha árvores, mas ainda tem muita gente dizendo adeus. A lei número 9.503 de 1997 determina que deve se dirigir a porra deste país com as duas mãos no volante!

Músicas mais acessadas

Álbuns e Singles/EPs  (1)

Fotos (33)

Clipes (12)

Release

CRÔNICAS DE UM MUNDO MODERNO

Na música Era digital Pierre Logan trata do grande acervo de informações que temos disponível na internet, mas alerta que não temos um filtro e por isso devemos ter cuidado com a informação que absorvemos ou descartamos.

Sociedade enlatada é uma construção realizada sobre o caos da cidade grande e conta pequenos fatos ocorridos na vida dos diferentes tipos de pessoas.

O menino e o sol trata da imaginação infantil.

Crônicas de um mundo moderno foi a primeira música do disco e o "motivo" para todas as outras. É a música mais complexa do disco.

"Deus está morto?" questiona a famosa frase de Nietzsche e trás para o contexto atual um debate sobre a questão da ciência como salvação da humanidade.

Lady Luz trata ...

Continuar lendo>>