HumildeDoando Uma Vida2.255 plays
Publicidadeiniciando próxima música em Pular anúncio
Publicidade
Publicidade
pular anúncio
1 / 4

Contrate

(14) 9717-7331

Doando Uma Vida

Humilde

O brasil é o segundo maior em doações do mundo, perdendo apenas para os estados unidos.
O numero de transplantes realizados por ano vem crescendo, mesmo assim, passam de 60.000 pessoas na lista de espera por um órgão.
E que espera.

Refrão
Seres humanos presentes
Ouçam esta rima
Tenham em mente
Que a morte é nossa sina

O que fazer com os órgãos
Cabe a vocês a decisão
Salvem uma vida
Através da doação

Quando a minha vida
Aqui na terra se extinguir
Existe um desejo meu
Que de deveram cumprir

Não tentem eternizar o meu corpo
Que é mortal
Introduzindo nele
Vida artificial

Mas não deixem que se perca
Vire pó ou vá com o vento
Dêem um sentido
A meu triste passamento

Talvez seja o fim
Pode ser eu reconhece
Mas através dos meus órgãos
Vejo um novo começo

Dêem minha visão a um homem
Que nunca chegou a ver
A beleza da mulher
A pureza de um bebe

O meu coração
Deixo a você
Cujo seu próprio
Só lhe fez sofrer

Àquele ser que já sofreu
Por dias sem fins
Em sessões de hemodiálise
Eu deixo meus rins

De presente deixo minha audição
Aquela
Menina que nunca ouviu
A chuva bater na janela

Refrão

A minha voz deixo
Para o moleque
Que sonha em gritar gol
Que sonha em cantar rap

Pâncreas, ficado,
Também não se percam
E os meus tecidos
Que também doado sejam

Com o avanço da ciência
Alcancem um novo ponto
Que a partir das minhas
Criem-se células tronco

Dêem meus pulmões
A quem mais necessitar
E transformem em cinzas
Todo o resto que sobrar

Lance-as ao vento
Para que caia sobre a terra
Para que ajude a brotar
Flores sobre ela

E se algo de mim
Quiser guardar
Guarde na lembrança algo que fiz
Que deixou alguém feliz

Dêem ao diabo todos
Os pecados meus
E a minha alma
Dêem a meu deus

Aqui deixei minha vontade
Escrita dês de cedo
E você esta esperando o que?
Será que está com medo?

Refrão

Medo, não tem por que
Se até a lei foi reescrita
Foi revogada
A doação presumida

Hoje você só tem
Que sua decisão tomar
E logo em seguida
Sua família avisar

Pois após a sua morte
Caberá a eles
Tornar realidade
A sua vontade

Mas a você que dês de já
Quer ser um doador ativo
Existe o transplante
"inter-vivo"

Medula óssea, rim, fígado
Assim pode ser doado
Ninguém morre em pouco
Os dois estão recuperados

Mas algo me entristece
E eu acho um absurdo
Que até em ato desses
O homem vise o lucro

Burgueses que pagam
Pra poder sair da fila
Laboratórios
Faculdades de medicina

Compram, vendem órgãos
Sistema ardiloso
Indústria macabra
Mercado rendoso

Refrão

Que a morte vem eu sei
Isso é um fato
Viver pra sempre
É sonho dos fracos

Pelos meus órgãos que ficam
E pelos meus descendentes
É através desses
Que eu viverei para sempre.

Músicas mais acessadas

Fotos (6)

Release

Marcos Antonio Oliveira de Paulo. Pseudônimo “Humilde”.
Filho da Dona Iara e do Seu Genésio.
Interiorano
Iniciou seus estudos musicais em 1998, em uma banda marcial da cidade.
No ano de 2001 passa a estudar música erudita no Conservatório Dramático Musical Dr. "Carlos de Campos" de Tatuí.
Ao mesmo tempo começa a se envolver com a cultura Hip Hop e passa a fazer parte do grupo "Matutos", esse já conhecido na região na época, se apresentando em diversas cidades do sudoeste paulista.
Atualmente é professor de música de uma banda de concerto municipal, toca saxofone na noite e esta em estúdio trabalhando seu primeiro cd solo de Hip Hop Erudito.
Com essa bagagem tenta mesclar esses dois gêneros tão distintos, e passa a defender esse subgênero "Hip Hop Erudito", mas ...

Continuar lendo>>