Mais Um Menino Preto (part. Bia Doxum)

Preto, Bia Doxum

Mais Um Menino Preto
Letra: Vinicius Preto / Bia Doxum

As correntes da minha mente
Não vão me prender mais não
E o Vazio dessa gente
Me mantém com os pés no chão
Coragem pra enfrenta o Medo
Danço, pela escuridão
Tire o racismo do Caminho
Que eu vou passar como um trovão.

Ele Nasceu, sem saber qual seria o destino
No parte diziam: Preto, Mulato… Mas era só um menino
Brasil das frustrações, miscigenações
Que prega em seus meninos peças e oscilações
Na infancia ja vê, o racismo brotar
Quando dizem que seu cabelo não da pra molhar
Que apontam e pegam e falam que é bombril
Se reage é visto como um "Preto Fuzil"
Ja cresce fadado a ser violento
Ou se defender é crime quando vem dos preto?
Mais um menino, que sonha também
em viver, ser feliz, poder se dar bem
Autos de resistencia - Crimes legais?
Mais um capitulo da farsa que fica pra trás.
Amparados pelas Leis, fardados se sentem reis
Mais um menino preto, chegou sua vez.

As correntes da minha mente
Não vão me prender mais não
E o Vazio dessa gente
Me mantém com os pés no chão
Coragem pra enfrenta o Medo
Danço, pela escuridão
Tire o racismo do Caminho
Que eu vou passar como um trovão.

Hoje eu Vou ser a Estrela
Eles não vão me impedir
Hoje eu vou voar mais alto
Eu vou confiar em mim
Hoje eu quero que a Chibata
Já não nos alcance mais
Nem que seja preciso a Guerra
Pra trazer a Nossa Paz

Sem Liberdade,
Tudo, tudo é muito pouco
Ando pelas ruas e sinto o vento no rosto
Mas, ainda sou a culpa de não ser
A culpa de não ter oportunidade
Tudo é pouco sem Liberdade
Tudo, tudo é muito pouco
Sem Liberdade,
Tudo, tudo é muito pouco
Sem Liberdade, Sem liberdade, Sem liberdade.


Hoje eu vou me libertar, eu não vou ficar aqui
de mãos atadas vendo um preto cair
Eu venho da raça que lutou pra libertar
E tenho a arma poderosa que é o pensar
Me chamam de preto, não é humilhar
mais um menino que da historia, vai se orgulhar
Angola - Nago - Bahia - Salvador
Negro não quer sofrer, pelo seu feitor
Vocês com as chibatas, sem Empatia
Mais um menino Preto, na palma da mão batia
Lutando, militando por direitos, deflagra
Mais um menino preto, Rafael Braga
A chama se acende, a esperança se apaga
Como não é branco, a sociedade se cala
Silencia! Mas a imagem não se apagou
Parece que a escravidão, não acabou.

As correntes da minha mente
Não vão me prender mais não
E o Vazio dessa gente
Me mantém com os pés no chão
Coragem pra enfrenta o Medo
Danço, pela escuridão
Tire o racismo do Caminho
Que eu vou passar como um trovão.

Tudo é pouco sem Liberdade
Tudo, tudo é muito pouco
Sem Liberdade,
Tudo, tudo é muito pouco
Sem Liberdade, Sem liberdade, Sem liberdade.

Músicas mais acessadas

Álbuns e Singles/EPs  (2)

Fotos (14)

Clipes (3)

Release

Vinicius, conhecido como Preto, é Mc, Historiador e fundador do grupo Zamba Rap Clube, um trabalho que faz há mais de 10 anos. Em seu primeiro trabalho solo, em paralelo com a banda, mostra suas influências que vão do Samba ao Jazz . Criado no bairro A.E. Carvalho, Zona Leste da Cidade de São Paulo, o rapper que já fez parte do grupo de Brasília Viela 17, mostra em seus versos a influência do Samba, as problemáticas do país como intolerância, racismo, homofobia, falando também de bons sentimentos e de como é crescer na periferia, com influências notórias nas batidas e nas rimas.

A primeira EP solo do Mc veio intitulada de “Não Me Diga Que Esta Tudo Bem”, que é uma das musicas do EP que conta com 5 ...

Continuar lendo>>