Sobrevivente MoralGangsta Harmônico20 plays
Publicidadeiniciando próxima música em Pular anúncio
Publicidade
Publicidade
pular anúncio
cancelar

Seu comentário foi publicado. Visualizar

Iniciando música ~ em
    1 / 71

    Batalha Pra Se Expressar

    Nildo e Gabriel

    Levita GR
    Tenho as armas tô preparado pra lutar como nunca estive
    Caneta e papel na mão inspiração, arsenal de elite
    Sou como uma bomba pronta pra explodir
    Sou uma rajada de letra e batida que o opressor não quer ouvir
    Admite quando o meu som toca sua consciência dói
    Toda vez que meu som tom toca o seu pensamento me destrói
    Então me critique, fale, xingue o quanto quiser
    A força do Rap tá de pé pro que der e vier
    O MC no Brasil é tratado com discriminação
    Mesmo assim o preconceituoso não cala a voz do povão
    Como pode alguém me chamar de marginal sem me conhecer
    Fale o que quiser tenho minha voz pra me defender
    Tem gente que não consegue ouvir cinco minutos do meu Rap uma mensagem que prega a realidade
    Mais senta no sofá pra ver uma hora de novela, programa de fofoca, perca de tempo, filme de sacanagem
    A missão do verdadeiro MC é passar o bem
    Revolucionar através da palavra não sou Superman
    Mais tenho comigo a força do rei dos reis
    Sou movido pela unção de Deus o inimigo não tem vez, não tem vez
    Já ouvi muita gente falando que o Rap é música de ladrão se eu fosse ladrão eu tava roubando e não escrevendo versos
    Se eu fosse o vilão da história não cantaria sobre paz faço o que gosto por amor não por dinheiro e sucesso
    R.A.P não é moda R.A.P não é pra comédia
    Então playboy não se empolga o som não é feito pra fazer média
    Quero sempre lutar pelo bem do nosso Brasil
    De uma em uma página escrevo um livro de mil
    Eu cala boca você vacilão que fala demais, demais
    Sua língua é uma chave pro sofrimento uma vida que só vai pra trás
    Aprende a reclamar do colarinho branco que rouba do povo
    Reclama pra mudar e tentar escrever um roteiro novo
    Pode tentar me calar em toda quebrada tem um mano que manda um som
    E o exército se multiplica de geração a geração
    Todo mundo junto unindo forças pra lutar
    Com o poder de Deus nada pode nos calar.

    Refrão
    Ninguém pode me fazer calar (Denunciando o horrores)
    Eu tenho a força de um guerreiro mente de um poeta (Lutando contra o preconceito)
    Levando a mensagem (Em busca da paz)
    Através do Rap difícil é me parar (Liberdade e respeito).

    Nildo
    Ninguém vai conseguir me calar até no fim essa batalha chegar
    O soldado aqui não vai parar de rimar enquanto Deus a vida me dar
    Eu sei que vários guerreiros há muito tempo têm sido oprimidos
    Discriminados por todo o lado escutando que o Rap é som de bandido
    O que não deveria acontecer cadê a liberdade de expressão
    Os versos rimados na base são expressão do coração
    É um dos poucos meios do humilde expressar aquilo que pensa
    Mandar uma ideia consciente passar pro semelhante uma experiência
    Só que tem vários otários que não querem que não conseguem ver nossos versos dessa forma
    Discriminam nossas roupas, discriminam nosso estilo, falando que o Rap é música de nóia
    Mais estamos aqui pra mostrar o contrário se ligue na ideia, se ligue na harmonia
    Não desacredite dos Poetas do gueto, os guerreiros da periferia
    Pois foi Deus aquele que pode tudo que deu esse dom pra gente
    Então sem medo não vou deixar essa pule no gelo vou continuar batendo de frente
    Pode discriminar, pode nos criticar mesmo assim será tudo em vão
    Se na gente não acreditar no nosso caminho ficar seu prêmio será a humilhação
    Por muito tempo já tentaram atrasar nosso lado
    Mas não puderam parar o rádio velho no barraco
    A repressão foi só ilusão nosso objetivo tá sendo alcançado
    No gueto por tudo que é lado tem favelado conscientizado
    Deixando no gelo o crime fazendo a corre pra ter um futuro
    Sendo um herói pro gueto abraçando de frente o mundo
    Eight Mile ganhou o prêmio melhor filme do ano
    Os versos, as rimas da rua agradaram até quem não é mano
    Por isso estamos aqui pra representar nossa cultura
    Falar tudo que está errado pra amenizar essa vida dura
    Trazer esperança pros humildes usando a liberdade de expressão
    Retribuindo dando o revide de tanto tempo de humilhação
    Os rappers Poetas do gueto nunca vão desistir dessa luta, dessa batalha pra ter liberdade de se expressar
    Os guerreiros, soldado de elite estão dispostos a tudo então não adianta tentar nos parar
    Nunca vão conseguir nos calar.

    Refrão
    Ninguém pode me fazer calar (Denunciando o horrores)
    Eu tenho a força de um guerreiro mente de um poeta (Lutando contra o preconceito)
    Levando a mensagem (Em busca da paz)
    Através do Rap difícil é me parar (Liberdade e respeito).

    Músicas mais acessadas

    Álbuns e Singles/EPs  (4)

    Fotos (12)

    Clipes (20)

    Release

    Sobrevivente Moral foi fundado em 1997, a primeira formação foi composta por quatro integrantes Nildo, Rs Jay (African Rap), Giully (Potencial Urbano) e Dj Djalma (Street Gang) por conta de correrias de trampo e família Giully e Dj Djalma desistiram da corre, então o grupo teve dois novos integrantes Beto e Dj Chama (integrante do grupo SL27), porém por divergências nas ideias a correria não virou, dessa forma Rs Jay e Nildo entraram no grupo Cães das Ruas (Organização Xiita), mas eu (Nildo) não me identifiquei com o estilo de som do Cães da Rua e voltei a correr com o grupo Sobrevivente Moral com dois novos integrantes Tchuca e Gi, Gi mudou para o Paraná, após a saída do Gi a formação se deu com Nildo, Gutty, Tchuca e ...

    Continuar lendo>>