Contrate

Pedro Vilarim ou Fabio Vilarim

(87) 3877-1470 | (87) 3877-3135

Lembranças

Pedim Vilarim

Os Vilarim - Participação: Alcymar Monteiro

Se tem uma coisa que não me sai da lembrança
É o meu pedaço de terra que deixei quando criança... (BIS)

Sinto saudade do meu tempo de criança
Trago sempre na lembrança
O lugar onde vivi...
As brincadeiras, os amigos, o estudo
Sempre eu lembro de tudo de bom que passei ali...
Passou o tempo mais ainda guardo na memória
Um pouco da minha história no meu pedaço de chão...
Quem é que não sente saudade de sua terra
Do forró de pé-de-serra
De uma fogueira de São João...

Se tem uma coisa que não me sai da lembrança
É o meu pedaço de terra onde vivi quando criança... (BIS)

Jogava bola de gude e futebol
Brincava de sol a sol
Tudo era bom demais
Tomava banho de chuva pelas calçadas
Em época de trovoadas
Tempos que não voltam mais
As travessuras que comigo aconteceu
Todo menino viveu assim como eu e tu
Nadava as águas do Riacho do Navio
Tando lá não sinto frio
Oh meu velho Pajeú...

Se tem uma coisa que não me sai da lembrança
É o meu pedaço de terra onde vivi quando criança... (BIS)

As serenatas que quando os jovens faziam
Tudo era só alegria dentro do meu coração
Cantava alegre varando as madrugadas
E cobria a calçada o luar do meu sertão
Como era bom nas festas de vaquejadas
Ouvir aboios, tuadas em meio ao gado berrando
De manhã cedo o queijo e a coalhada fria
Acordar com a sinfonia da passarada cantando

Se tem uma coisa que não me sai da lembrança
É o meu pedaço de terra onde vivi quando criança... (BIS)

Músicas mais acessadas

Fotos (33)

Release

FORRO PÉ-DE-SERRA SIM SENHOR

O Grupo De Forró Pé-de-Serra Os Vilarim e o Forró número 1, nascido há quase 20 anos na cidade de Floresta-PE, de inicio não tinha a pretensão de Profissionalismo. Era mais uma brincadeira de irmãos e amigos conterrâneos que gostavam de confraternizar-se nos finais de semana.
O sertão é lugar inclemente, e dá duro em quem não dá duro. As profissões dos Irmãos Vilarim eram outras; quando sobrava um tempo faziam uma tocada,meio que amadoristicamente. Entre uma animação e outra,foram caindo no exigente gosto de um povo acostumado a ouvir forró, o autêntico forró de matuto.
Dizem, no sertão, que de semente boa quando bem plantada, nasce árvore de qualidade. A semente do forró, que um dia Luiz Gonzaga semeou, caiu em terreno fértil ...

Continuar lendo>>