Marlon ManfroiUniverso Paralelo (Part. RS Black)3.809 plays
Publicidadeiniciando próxima música em Pular anúncio
Publicidade
Publicidade
pular anúncio
1 / 6

Universo Paralelo (Part. RS Black)

Marlon Manfroi

A cidade à noite brilha igual um céu estrelado
Imerso na minha mente, um universo inusitado
Me tira o peso das costas, mas não é o suficiente
O peso continua ali, parado na minha frente
Ainda me resta empurrar, pro abismo do passado
Ou se não a minha órbita vai pro lado errado
Então eu olho pras estrelas, elas parecem pequenas
Mas na verdade, são maiores que os meus problemas
Sonho alto que nem elas, e ressalto o seguinte
Se uma brilhar no céu, a escuridão já não existe
Irmão, se doer quando olhar pro lado bom
É porque não se deve olhar diretamente o Sol
O espaço é tão grande, então relaxo e vou com calma
Abduzindo o que há de bom, pra no fim baterem palma
E a minha alma sente, que a esse planeta eu não pertenço
Então eu tenho que atravessar esse universo tão extenso
E essa chuva de meteoros chamada sociedade
É nessa hora que eu ignoro a lei da gravidade

[REFRÃO] (RS Black)
Fechei os olhos e entrei numa nave espacial
Ruma à uma jornada pra outra dimensão
Esse mundo é tão estranho
Eu não duvido mais de nada
Como um alien, eu fechei os olhos e subi
Mas eu nem sequer sabia
Que existia uma escada
Eu não duvido mais de nada

Muitos querem ser um astro, reconhecido
Querem deixar o seu rastro, mas astro tem dois tipos
Os que brilham por si próprios, e os que refletem a luz
E ao segundo citado eu me opus a fazer jus
Quero ter minha própria luz, mesmo sendo com esforço
Indo pra um buraco negro, indo pro fundo do poço
Eu posso escalar, com auto-estima intacta pra
Outra dimensão, e o meu satélite capta que
Há um lugar melhor, pode não ser nesse planeta
É como se ele me chamasse por mais longe que esteja
Já que veja, tem momentos que eu me sinto como um alien
Conceitos que eu tenho até parece que não valem
Não ligo que falem que eu sou pensativo, eu digo sou o próprio
Olho ao meu redor, como se usasse um telescópio
Vejo o que ninguém vê, sinto o que ninguém sente
Vivo numa galáxia dentro da minha mente
E a mesma nuvem que te eleva e te faz seguir em frente
Te impede de enxergar as montanhas à sua frente

[REFRÃO] (RS Black)
Fechei os olhos e entrei numa nave espacial
Ruma à uma jornada pra outra dimensão
Esse mundo é tão estranho
Eu não duvido mais de nada
Como um alien, eu fechei os olhos e subi
Mas eu nem sequer sabia
Que existia uma escada
Eu não duvido mais de nada

Fechei os olhos e entrei, numa nave espacial rumo à uma jornada
Pra outra dimensão, esse mundo é tão estranho, mano, e eu já não duvido mais de nada
Fechei os olhos e subi, mas eu nem sabia se existia uma escada
Pra outra dimensão, esse mundo é tão estranho, mano, e eu já não duvido mais de nada

[REFRÃO] (RS Black)
Fechei os olhos e entrei numa nave espacial
Ruma à uma jornada pra outra dimensão
Esse mundo é tão estranho
Eu não duvido mais de nada
Como um alien, eu fechei os olhos e subi
Mas eu nem sequer sabia
Que existia uma escada
Eu não duvido mais de nada

Músicas mais acessadas

Fotos (6)

Release

Caleck começou escrevendo suas próprias letras em 2008. No começo de 2010, grava sua primeira música, "Eu Não Faço Parte". Em junho do mesmo ano, cria o grupo de rap "Rima à Pampa", junto com E.R e Aretha, e então lançam um EP com 8 músicas no início de 2011. Alguns meses depois, Caleck começa a trabalhar em seu primeiro EP solo, que pretende lançar em 2013. Em 2012 lança sua primeira música em inglês, "Never Reach".