Karola NunesC´Est La Vie52.903 plays
Publicidadeiniciando próxima música em Pular anúncio
Publicidade
Publicidade
pular anúncio
1 / 7

Jah é (Orgânico Dub - Part. Luiz Góes)

Karola Nunes

É coisa de momento bem corriqueira
Que vem despretensiosamente
Tomara que você não faça uma besteira
Eu vou pagar pra ver
E se pá de repente

Vai ser bem diferente do que rola aí
Vontade dá na gente
Eu não saio daqui
Tem tanto pico louco
Pra eu te apresentar
Mas se ficar aqui pode até melhorar

É coisa de momento bem corriqueira
Que vem despretensiosamente
Tomara que você não faça uma besteira
Mas é que eu vou pagar pra ver
E se pá de repente

Vai ser bem diferente do que rola aí
Vontade dá na gente
Eu não saio daqui
Tem tanto pico louco

É pra ser se já é
Quero ver
Eu vou pagar pra ver
Eu quero ver e se pá vou pagar

Pressa de inspiração
Medo de perder a mão
De ultrapassar qualquer barreira
(Mas quero ultrapassar qualquer barreira)

Eu não vou te perder
Eu não vou te contar
Mas é que cê me pega de uma maneira

É coisa de momento até corriqueira
Do jeito que cê faz parece que é besteira
É coisa de momento até passageira
Mas eu não vou ligar se for pra vida inteira

É pra ser se já é
Quero ver
Eu vou pagar pra ver
Eu quero ver e se pá vou pagar

É pra ser se já é
Quero ver
Eu vou pagar pra ver
Eu quero ver se o rolê vai durar

Músicas mais acessadas

Álbuns e Singles/EPs  (3)

Fotos (30)

Clipes (5)

Release

No cerrado matogrossense, Karola Nunes, semeia seu terreno sonoro. Acadêmica do curso de Música da UFMT, mas formada pelos palcos da noite, Karola transita por diversos gêneros e reflete essa miscelânea brasileira. Se, questionada, não sabe se enquadrar num estilo. Isso porque, com influências do baião do pai paraibano, da MPB tão presente nos repertórios dos bares e da paixão pelo reggae, a cantora e instrumentista, quer mesmo, é brincar com as sonoridades brasileiras.
Os ritmos que acompanham suas composições são resultado da vivência cotidiana e de suas aventuras sonoras. Karola integrou a banda Marakadaje (inspirada no movimento mangue beat), que saiu do cerrado para levar o trabalho autoral para a ilha catarinense (2007). Em seu retorno ao Mato Grosso (2009), integrou o grupo feminino de choro e samba, Bionne ...

Continuar lendo>>