Karola NunesC´Est La Vie40.672 plays
Publicidadeiniciando próxima música em Pular anúncio
Publicidade
Publicidade
pular anúncio
1 / 6

Contrate

C´Est La Vie

Guto Krebs

Tenho fé que vai
Tenho fé que vou
De novo
Para acontecer
Pode crer
Pode crer que ela virá de novo
Com todas as suas forças
Para me embalar num sonho lindo de ijexá
Ao som do céu dos Orixás

Tenho fé que vai
Tenho fé que vou
De novo
Para acontecer
Pode crer
Pode crer que ela virá de novo
Com todas as suas forças
Para me arrebatar os pés no chão

Com a força de mais de mil furacões
Com a força de mais de mil furacões

Por aqui também tem pombas
Talvez não como na aurora de Nova Iorque
Mas por aqui também escorre
Muito esgoto e sangue a céu aberto
Por debaixo do nosso nariz
Por debaixo do grande verniz
Para inglês ver nas grandes cidades

Talvez seja um porre de cachaça
Talvez seja um abrigo no meio da noite desesperada
Mas eu prefiro que seja você
Minha tão doce e pequena menina

Eu tenho fé que vai
Que vou
De novo para acontecer
Pode crer, que sou filho do alto

Na rima quebrada, desenfreada, linha descompassada e urbana
Barroco na ferida
Passarela de concreto: Asfalto do meu carnaval
Com ela é por dentro guerra
A crise no planeta: Sistema capital
Meu coração, meu mundo, meu mal e tal
Com ela é por dentro guerra e paz
Mas

Mesmo com pontas quebradas eu canto mais um amor
Mesmo com pontas quebradas eu faço mais um amor
Mais um amor
Você há de estar lá
Sempre nua, sempre minha
Mesmo com milhões de facas encravadas
Sobre meu peito, minhas costas
Meu lombo, meu lombo que aguenta o mundo inteiro

Músicas mais acessadas

Fotos (30)

Clipes (6)

Release

No cerrado matogrossense, Karola Nunes, semeia seu terreno sonoro. Acadêmica do curso de Música da UFMT, mas formada pelos palcos da noite, Karola transita por diversos gêneros e reflete essa miscelânea brasileira. Se, questionada, não sabe se enquadrar num estilo. Isso porque, com influências do baião do pai paraibano, da MPB tão presente nos repertórios dos bares e da paixão pelo reggae, a cantora e instrumentista, quer mesmo, é brincar com as sonoridades brasileiras.
Os ritmos que acompanham suas composições são resultado da vivência cotidiana e de suas aventuras sonoras. Karola integrou a banda Marakadaje (inspirada no movimento mangue beat), que saiu do cerrado para levar o trabalho autoral para a ilha catarinense (2007). Em seu retorno ao Mato Grosso (2009), integrou o grupo feminino de choro e samba, Bionne ...

Continuar lendo>>