Contrate

O que é felicidade (Ao vivo)

Igor Mangueira

Eu devia estar feliz porque eu tenho mulher, filho, emprego e até uma casa pra morar
Eu devia estar feliz por ter plano médico, cartão de crédito e escolher onde jantar
Eu devia estar feliz por marcar meus gols, ir a shows e viajar de avião
Eu devia agradecer aos céus, a Deus e fazer como Zaqueu
Por ter encontrado a luz depois da ilusão
Mas não, mas não, mas não, mas não...

Eu não me contento com pouco
Podem me chamar de louco
Por não ter satisfação
Com as tentações do mundo
E quando eu caio eu vou bem fundo
Sempre atrás de distração
Eu quero é diversão

Eu devia estar feliz por ter voltado pra Aracaju
Depois de ter passado fome por dois anos lá no sul
Eu devia estar feliz por tocar meu violão
E ter composto uma canção em homenagem a Raul (e a Chico Buarque também)
Eu devia estar feliz por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir, pela certidão pra nascer, pelo Fluminense existir e balançar meu coração (Sou tricolor de coração)
Eu devia estar feliz por ter lançado meus discos voadores
Pras senhoras e pros senhores e por ter aparecido na televisão
Mas não, mas não, mas não, mas não...

Eu não me contento com pouco
Podem me chamar de louco
Mas eu vou até o fim
Pois não sei viver fingindo
Posso até chorar sorrindo
Mas um dia a máscara vai cair
Porque eu não sei mentir

Sou apenas um palhaço
De um circo tropicalista
Mas meus nervos não são de aço
Nem minha vida é de artista
Saiba que eu ainda tenho sonhos
Mas eu ando tão discrente
Só por hoje eu proponho
Acreditar, ficar contente

Músicas mais acessadas

Fotos (14)

Clipes (5)

Release

Um violão na mão e uma idéia na cabeça. O lema adaptado do cinema-novo serve para apresentar o cantor e compositor Igor Mangueira. Natural de Aracaju, Igor se auto-denomina um extra-artista-terrestre numa provocação à alcunha “artista da terra” que costumeiramente é usada pela imprensa e sociedade quando se refere aos artistas locais. Mas Igor completa sua caracterização dizendo ser do planeta Aracaju, numa alusão à uma música do folclore sergipano que fala “minha terra é Sergipe”.

A contradição no seu trabalho começa logo na frase de apresentação e não termina mais. Não é possível rotulá-lo. Passeando por diversos estilos, Igor gosta da música popular brasileira em suas diversas formas e sempre aberta ao que vem do resto do mundo. Igor costuma dizer que seu estilo é punk-pós-tropicalista. Punk, pela simplicidade ...

Continuar lendo>>