fogos de artifício

oswaldo pacheco

Pode ser que um dia eu fique mudo
Pode ser que um dia eu me esqueça de tudo
Quem prevê o dia de amanhã
Quem pode ler o futuro
Será que vale a pena sair de cena
Será que vale a pena grilar com coisas pequenas
Só por grilar
Depois que a tempestade passar
Eu abro a minha janela da sala da sala

E deixo a luz entrar
Pra iluminar a nossa casa
Que sem você não vê mais porque acender

Fogos de artifício
Tiros de festim
Será que isso traz você de volta pra mim
Se trouxer vou incendiar o céu

Eu só falo o que quero mas eu não falo
Pra parecer correto
Pra parecer mais sincero eu espero
Depois que a madrugada passar
Eu abro a minha janela da sala da sala

Músicas mais acessadas

Fotos (8)

Clipes (24)

Release

A banda curitibana Circo Voador teve início no ano de 1999. Naquela época, o repertório do quarteto era baseado em clássicos do Rock Nacional dos anos 80, o BRock: Paralamas, Titãs, Ultraje, Legião, Barão, Ira!, entre outros foram as grandes influências do grupo.

Pouco tempo depois, com a adição de um novo guitarrista, o Circo passou a ser um quinteto e ganhou uma nova sonoridade. Novos caminhos se abriram, incluindo o autoral, e a banda começou a ganhar destaque, refletindo em apresentações nas principais casas de shows do Paraná e Santa Catarina.

Em 2005 a banda lançou o primeiro disco autoral, Circo Voador, pelo selo gaúcho antídoto. Nesta etapa a banda também ganhou destaque em sites nacionais - como o msn.com, indicação “Melhor Vocalista Rock” no Prêmio Saul Trumpet da ...

Continuar lendo>>