Contos De Fardas

Buneco, Gigante No Mic, Eko


(Buneco)

Pede a benção pra sua mãe, nunca é mais demais orar
Se não tiver o faz me rir, eles te faz chorar
Você já sabe qual é, não conte só com a sorte
Tem que ter um café e tem que ser um bem forte
Pra enfiar o cassetete falta me por de quatro
E o PM Picasso chega e me bota enquadro
Sentiu um frio na espinha? Mas é claro chegado
É que o oitão que ele encostou era um refrigerado
Pergunta se eu tenho passagem, só do buzão
E pra escapar da lei seca vai ter que molhar a mão
Presta atenção que eles tiram o nome da farda
E o soldado Dos Anjos não é um anjo da guarda
Nem o sexo feminino anda saindo ileso
Chegam de farol apagado nas de farol aceso
Ta surpreso? Tem umas que não vê nenhum problema
E pras que curte fetiche, eles levam até algema

[Refrão]
Põe sua mão na parede olha o distintivo
Lá vem chute, lá vem tapa, sempre agressivo
Eles querem te pegar qual é o objetivo
Você: morto! Vivo! Morto! Vivo!
O quanto você tem será sempre decisivo.

(Gigante No Mic)

Não sou criminoso apenas falo a verdade
Cansado de apanhar de quem defende a sociedade
Loucademia De Policia mano
Sua farda é sagrada então vou ser profano
Sou vândalo, bárbaro germano
Quebrando todo império e o exército romano
Tipo Bakunim causando anarquia
Fujo do capitão alcançando alforria
Sua bala de borracha não apaga nossa gente
Seu gás lacrimogêneo nunca cegou minha mente
De repente liga o 190
A policia chega rápido, mas a justiça lenta
Gritam no megafone, mas tenho meu headphone
Minha arma é meu microfone matando somente a fome
Tipo Alcapone eu sigo
A sua segurança só me causou perigo

[Refrão]
Põe sua mão na parede olha o distintivo
Lá vem chute, lá vem tapa, sempre agressivo
Eles querem te pegar qual é o objetivo
Você: morto! Vivo! Morto! Vivo!
O quanto você tem será sempre decisivo.

(Eko)

A balança da justiça ta pesando a minha
Não sou padeiro pra saber onde é que ta a farinha
Os moleque solta pipa, agora perde a linha
Muito conveniente spray de pimenta e coxinha
Te mandam pro buraco igual bola de sinuca
Dão balas pras crianças só que essas não têm açúcar
A que entrou no peito da cabeça não sai
E eles fazem até órfão rezar o nome do pai
Homossexual caiu, caso na quinta vara
E a ainda não saiu a digital da sua cara
Se empenhou jão, é sim senhor, não
Pagou um pau e não propina se ferrou então
Se eles não tem dinheiro põe você de joelho
Com o nome sujo até o giroflex ta no vermelho
Se abre com o legista, o lado emocional
Instituto médico é isso que eles acham legal.

[Refrão]
Põe sua mão na parede olha o distintivo
Lá vem chute, lá vem tapa, sempre agressivo
Eles querem te pegar qual é o objetivo
Você: morto! Vivo! Morto! Vivo!
O quanto você tem será sempre decisivo.

Músicas mais acessadas

Álbuns e Singles/EPs  (1)

Fotos (6)

Clipes (6)

Release

ATENTADO NAPALM é um grupo de RAP que teve origem no final do ano de 2012 em Goiânia-GO. Atualmente residindo em São Paulo-SP, o grupo é composto pelos MCs Eko Urso Branco, Gigante no Mic, Buneco e o Dj Gio Marx. Carrega consigo o nome de uma arma química desenvolvida em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, chamada “Napalm”, onde a suas principais características é ser um líquido altamente inflamável e pegajoso. Assim tornou-se o conceito ideal para esse grupo que produz um som quente e uma vez que você entra em contato não consegue se livrar tão fácil. O prefixo Atentado vem para complementar à utilização da arma, já que vieram para causar um atentado por meio de idéias e reflexões que contribuam para uma mudança sociocultural relevante.
O ...

Continuar lendo>>