Halo Lunar

Adolpho Guiroto

Da distância se vê o clarão
Se faz luz em meio a escuridão
Anel luminoso suspenso no ar
Bambolê de gotas parece enfeitar

Corre a Lua, crescem montanhas
O Sol vem e se vai
Sobe a maré, dividem-se os lábios
Encontram-se abraços no Halo Lunar

Nos teus olhos vejo o cintilar
De brasa prestes a me esquentar
Num sorriso refletido a luz do luar
As estrelas cantarolam canções de ninar

Corre a Lua, crescem montanhas
O Sol vem e se vai
Sobe a maré, dividem-se os lábios
Encontram-se abraços no Halo Lunar

(Tua companhia, minha moradia
me salva de mim, me salva de mim
Só um abraço, mero acaso
Protege do frio, protege do frio)

Corre a Lua, crescem montanhas
O Sol vem e se vai
Sobe a maré, dividem-se os lábios
Encontram-se abraços no Halo Lunar

Músicas mais acessadas

Álbuns e Singles/EPs  (2)

Fotos (48)

Clipes (3)

Release

Adolpho canta desde os 15 anos na noite e mais recentemente vem trabalhando num projeto autoral solo. Foi integrante durante mais de 3 anos na banda SOS '96 - sucesso de acessos no PalcoMP3 e continua vocalista da banda Kako de Telha performando em variados eventos na região paranaense. Bota sua voz pra fora pra cantar qualquer coisa que sinta em forma de música. Suas composições refletem as ânsias de uma geração jovem que se sente deslocada em busca de um lugar pra si no mundo. Músicas como "Dias de Cão", "Fracasso", "Penumbra" refletem diretamente as ansiedades de uma mente caótica que traduz a dor em melodia.